RSS

Arquivo de etiquetas: história

Terras Rubras

Background: someonesmall.deviantart.com

 

 

 

Grandiosas Terras Rubras, local de águas quentes e povos inquietantes; Coração de Amalgaid, que pulsa insanamente pintando vida e morte; Colorindo, mas nunca empalidecendo; Irei amar estas terras por eras afim… Mesmo que meu sangue se torne pigmento para tingi-la uma vez mais…

1°Regente, Cidadela, Novo Reinado;

 

Viajaremos agora por alguns lugarejos dessas Terras incandescentes do Continente Rubro, de Norte a Sul, vendo algumas culturas e contos que estes povos compartilham a séculos.

           

                …                

Região Norte

 

Iniciando pelo Norte, onde a cordilheira Rubra assume as maiores alturas tocando os céus com o pico de suas montanhas, com exuberantes florestas de coníferas, tendo largos rios que criam ilhas por onde os rios se espalham, tornando a região um grande quebra-cabeça.

As estações são bem marcadas, com invernos acinzentados, com neve cobrindo aquelas terras com finas camadas dia-a-dia. Os verões são quentes, com o vento soprando rápido chacoalhando as árvores. No outono enquanto as plantas se preparam para o longo inverno, as folhas secas são carregadas por pequenas correntes de ar, que soam como murmúrios zombeteiros na gigante marrom.

Mas é durante a primavera que as Terras do Norte realmente se sentem mais “vivas”, quando no vale próximo a terra dos Einhajoc , florescem uma espécie única de flor, de tons róseos e vermelhos. A planície é conhecida como “chamas eternas”, pois quando o vento levanta as pétalas das flores, é como se pequenas chamas dançassem vertiginosamente  rumo aos céus.

E é na primavera que o festival do “Ousado” ocorre, muito conhecido por todos os povos que lá vivem, mas é proveniente da Cultura Einhajoc.

O Ousado – filho da floresta com o guerreiro mais forte da vila, Suroc o Urso pardo; quando pequenino Ousado viveu juntamente com o povo de seu pai, e aprendendo os costumes e as lições desse povo antigo, chegando o dia de sua passagem de criança para homem, Ousado superou seu Pai Suroc o Urso pardo.
 Ousado possuía uma aparência muito diferente, seus cabelos negros como a própria escuridão, se recusavam a brilhar com a luz, e sua pele de tom mais claro que a de seu povo, o destacava do restante, então sua alcunha foi Ousado o Fruto escuro.
Quando Seu pai veio a falecer, Ousado afirmou que seu tempo vivendo junto a eles tinha acabado, e que agora ele levaria o corpo de seu Pai para a floresta, para um ultimo encontro com sua mãe, e assim o fez desaparecendo na neblina matinal do Outono.
 Então sem seus guerreiros mais fortes, o povo Einhajoc foi atacado pelos povos vizinhos, e essa guerra devastou a longa floresta que protegia a planície antes do Vale dos Einhajoc. Então no ultimo dia do inverno, em uma noite escura, tão escura que nem Luna ou qualquer estrela conseguia passar pela grossa manta de nuvens que obscureciam o céu, o Ousado voltou.
 Agora como um adulto, seus longos cabelos negros arrastavam no chão, seus olhos em tom vermelho alaranjado sobressaiam de seu rosto como chamas a iluminar a escuridão, então ele disse: Parte de mim morreu nessa batalha, não posso deixar a morte de minha mãe impune… e muito menos do povo que me acolhera mesmo não sendo um completo igual… portanto… ao amanhecer, quando o Sol acariciar estas terras com sua luz…eu terei erguido a ultima muralha para o meu amado povo… e essa muralha será meu presente… para o Grande Urso pardo que encontrou na Floresta o aconchego derradeiro para sua alma…
Cortando os pulsos ele caminhou deixando seu Sangue tocar as terras e água das redondezas e terminou dizendo… Agora como um fruto pequeno, deixarei minhas sementes nessas terras e me tornarei uma grande floresta como minha amada mãe, mas sem perder minha humanidade como meu amado pai… e sumiu novamente na neblina…
Era possível ouvir os tambores e cantos de guerra entoados pelas tribos vizinhas se aproximando… Mas quando finalmente o Sol nasceu, como por mágica um enorme campo florido revestiu toda aquela paisagem que vagarosamente ainda se livrava do gelo do inverno… E quando os inimigos avançaram, o vento chacoalhou as flores, e o campo florido parecia incendiar… os inimigos se apavoraram e saíram correndo…
Para os Einhajoc o aroma das flores é agradável e curativo, mas também pode ser um veneno alucinógeno que destruirá todo aquele que tentar fazer mal ao povo do Ousado.”
Anúncios
 
1 Comentário

Publicado por em Julho 22, 2011 em 1 #Geral, 4 #Lugares, Continente Rubro

 

Etiquetas: , , , ,